Vem aí o curso de Introdução ao Excel

Olá pessoal. Você se interessa ou trabalha com EXCEL no seu dia a dia? Já teve alguma curiosidade ou dúvida aparentemente básica e não sabia pra quem perguntar? Pois então “SEUS PROBLEMAS ACABARAM”! (rs). Hoje quero apresentar uma prévia do curso de Introdução ao Excel que irei ministrar através de vídeo-aulas.

O curso será prático, contendo uma apresentação ao Microsoft Excel, além de tirar dúvidas sobre o uso de Fórmulas e Funções, Congelamento de painéis e células, Formatação de Planilhas e mais.

TÁ INTERESSADO? Basta se inscrever no meu Canal no Youtube e acompanhar aqui pelo Blog para ficar sabendo quando o curso começar. Dúvidas e sugestões para as aulas, entre em contato pelos comentário aqui abaixo ou pelo e-mail falecom@danielbrandao.com.br

Logo abaixo você confere o vídeo de Introdução ao curso. Aguardo vocês!

O que é Git e GitHub? Entenda mais sobre versionamento

Este artigo, escrito por  para o blog Tableless, traz a você tudo que precisa saber para se tornar um desenvolvedor que possa dominar tanto o git, quanto o Github. Nosso objetivo é trazer os conhecimentos necessários para que você possa, a partir do zero, dominar os conceitos gerais do git, e usar o github para “hospedar” seus projetos pessoais e acompanhar outros projetos de seu interesse.

O que é git?

Git é um sistema de controle de versão de arquivos. Através deles podemos desenvolver projetos na qual diversas pessoas podem contribuir simultaneamente no mesmo, editando e criando novos arquivos e permitindo que os mesmos possam existir sem o risco de suas alterações serem sobrescritas.

Se não houver um sistema de versão, imagine o caos entre duas pessoas abrindo o mesmo arquivo ao mesmo tempo. Uma das aplicações do git é justamente essa, permitir que um arquivo possa ser editado ao mesmo tempo por pessoas diferentes. Por mais complexo que isso seja, ele tenta manter tudo em ordem para evitar problemas para nós desenvolvedores.

Outro fator importante do git (e essa é um dos seus diferenciais em relação ao svn – caso vc o conheça) é a possibilidade de criar, a qualquer momento, vários snapshots do seu projeto, ou como chamamos mais “nerdmenete”, branch. Suponha que o seu projeto seja um site html, e você deseja criar uma nova seção no seu código HTML, mas naquele momento você não deseja que estas alterações estejam disponíveis para mais ninguém, só para você. Isso é, você quer alterar o projeto (incluindo vários arquivos nele), mas ainda não quer que isso seja tratado como “oficial” para outras pessoas, então vc cria um branch (como se fosse uma cópia espelho) e então trabalha apenas nesse branch, até acertar todos os detalhes dele. Após isso, você pode fazer um merge de volta do seu branch até o projeto original. Veja bem, se tudo isso que você leu só ajudou a te confundir mais – respire fundo – e siga em frente. Com exemplos tudo fica melhor.

O que é github?

O Github é um serviço web que oferece diversas funcionalidades extras aplicadas ao git. Resumindo, você poderá usar gratuitamente o github para hospedar seus projetos pessoais. Além disso, quase todos os projetos/frameworks/bibliotecas sobre desenvolvimento open source estão no github, e você pode acompanhá-los através de novas versões, contribuir informando bugs ou até mesmo enviando código e correções. Se você é desenvolvedor e ainda não tem github, você está atrasado e essa é a hora de correr atrás do prejuízo.

Instalando git

O git é um programa que pode ser instalado neste link para Windows, neste para Mac, ou então através do comando sudo apt-get install git para plataformas Linux/Debian, como o Ubuntu. Se você usa uma VM na nuvem, como o cloud9 ou koding, o git já estará disponível em sua linha de comando.

Nossa metodologia é fazer com que você aprenda git já utilizando o github, então vamos a sua configuração!

Criando a conta no GitHub

O github não possui instalação, ele é um serviço, e caso você não tenha uma conta, chegou a hora de criá-la, neste link. Após criar a conta, você verá um botão verde +New Repository na qual poderá criar um repositório de acordo com a tela a seguir.

github

Clique aqui e leia o artigo na íntegra!

60 recursos online para professores e comunicadores

Olá Pessoal!

Hoje a dica é para professores e profissionais que precisem lidar com apresentação em público. Na verdade as dicas foram produzidas e é um apanhado geral do pessoal da Pipa Comunicação.

No texto, vários tipos de recursos são citados, tanto para criação de apresentações, slides, até edição de vídeos e publicação de conteúdos na web.

Clique aqui e veja as valiosas dicas. Essa vale salvar no favoritos e ter como recurso no dia a dia.

Você sabe o que é um doodle?

Lembrou das artes e animações comemorativas na página do Google, né? Sim, elas também são doodles, mas você sabia que esse tipo de arte gráfica já existia antes mesmo da criação da empresa? Destaco aqui esse texto (em inglês, sorry!) de leituras recentes e que apresenta como descoberta histórica uma série de doodles nas margens de manuscritos do século XIV.

A Wikipedia define doodle como um tipo de esboço ou desenho realizado ao acaso. Já o dicionário Oxford diz que doodles são desenhos grosseiros feitos de forma distraída. Essa “carga negativa” atribuída ao termo, perceptível na definição do dicionário inglês, aparece devido a forma como a palavra era empregada no século XVII. Nessa época doodle era o mesmo que tolo, simplório. Arriscaria dizer que essa escolha pela nomenclatura contribuiu em parte para que o desenho fosse até hoje considerado algo de menor valor em relação à escrita. O dicionário Cambridge é um pouco mais amigo. Em sua definição afirma que doodle é um pequeno desenho ou padrão produzido de formar despretensiosa, sem muito planejamento. Em bom português podemos traduzir como rabisco ou rascunho.

Leia o restante no blog da Pipa Comunicações

Sim, vale a pena ser professor

Se você me perguntasse há uns anos atrás, na minha época de faculdade ou terminando o Ensino Médio, se vale a pena ser professor, acho que a resposta seria um claríssimo NÃO! Será que vale a pena se sacrificar, sendo sempre minoria, dentro de um sala de aula onde a maioria não está muito interessada em te ouvir?

Bem, anos depois da graduação e com alguma gordurinha acumulada na vida (não apenas na região da barriga, mas também de experiência de vida), a resposta mudou. Não vou ser hipócrita e dizer que entrei nessa vida de Educador apenas pelo prazer pessoal. A oportunidade de encarar minha primeira turma veio “por acaso”. A grande diferença foi que, depois desse primeiro curso, minha vida mudou.

Acho até que a minha vida mudou mais do que a maioria dos que foram meus alunos até aquele momento, pois encontrei uma profissão a qual não precisaria chamar mais de Trabalho.

Claro que ser professor dá “trabalho” pra caramba. Mas, lidar com pessoas de um modo geral, já dá. Somando a isso preparar aulas, provas, corrigi-las, e ainda se preocupar com cada caso que aparece, se torna um peso, caso você não tenha uma certa aptidão pra coisa.

Em meus anos iniciais já lidei com turmas variadas. Algumas só com iniciantes, tendo que praticamente “alfabetizar” digitalmente pessoas de 12 a 70/80 anos. Os desafios de uma sala de aula são muitos. Quando cheguei ao nível superior, um pouquinho de calo já tinha se formado, e algumas surpresas já não espantavam tanto.

Hoje, imagens como a mostrada aí em cima me fazem sempre voltar ao encanto inicial que tive. O prazer em não apenas passar conhecimento aos alunos, mas de tentar auxiliar no crescimento individual de cada um. Cobrar também é uma forma de amar, chamar a atenção é mostrar que você se importa com aquela pessoa.

Ser professor é ser um pouco pai de cada aluno. E nisso, se aprende que há várias formas de se demonstrar afeto. O fato de ter me tornado pai praticamente na mesma época que me torneio professor me fez adquirir experiência conjunta, levando a sala de aula o lado paterno, e trazendo para cada o lado educador.

Espero ter paciência e perseverança nesta jornada, que ainda posso dizer estar no começo. Ainda espero manter a boa vontade, em não pensar mais no contra-cheque do que na missão dada. Tudo tem seu espaço, seu momento e sua importância. SIM, ainda vale muito a penas ser professor. E sempre valerá!

Deixa o menino #Programar

A Criatividade é algo inerente ao ser humano. Com essa turma de Eletrotécnica o IFPB João Pessoa tenho descoberto que para ter um bom retorno de alunos perante a tecnologia, basta instruir bem e atiçar a curiosidade que a criatividade vem.

Eles estão começando a aprender a programar. Essa nobre arte é um portal de descobertas, e de transformação. Uma turma numerosa e agitada está gastando energia em pensar em soluções e algoritmos. É empolgante.