Web – Acessibilidade e Cores

Oi Pessoal! Estou postando um texto que fala sobre este tema: Utilização de cores na web. Com as multiplataformas que temos hoje (Computadores de mesa, notebooks, tablets e celulares), o conceito de desenvolvimento web vai além de criar uma página robusta e confiável. Hoje vamos além, adaptando os conceitos para atender pessoas de diferentes formas e estilos. O texto a seguir é do blog do pessoal da agência Princi Web.

img-coresE aí, pessoal! Vamos falar sobre a Acessibilidade Web, mas desta vez vamos focar no assunto cores. Sim, pois muita gente ainda não sabe que adaptar certas mudanças no seu layout, em relação às cores, podem fazer muita diferença para quem está acessando o seu site.

As cores são interpretações que nossa visão leva até o cérebro da luz refletida nos objetos. Cores podem transmitir sensações diferentes dependendo de sua aplicação, podem indicar um segmento de mercado (por exemplo infantil e alimentício) e muitas outras funções. Como designers, precisamos aprender a usá-las com sabedoria para que elas não virem inimigas do seu negócio, mas sim favoreçam-no. Como já dissemos nos posts anteriores, usar boas práticas de acessibilidade no seu layout, tanto em tipografia como em cores, beneficia e facilita o acesso a todos os usuários de uma maneira geral, não apenas os menos aptos, até porque a percepção de cores varia de pessoa para pessoa.

Idosos e contraste

Se tudo der certo nesta vida, todos nós envelheceremos, e envelhecer não impede ninguém de acessar a internet, pelo contrário, esta parcela de usuários só cresce, calcula-se que serão mais de 10% com mais de 65 anos em 2020. Então pensar em acessibilidade web para idosos é pensar em nós mesmos um dia. E uma observação importante: se o usuário idoso não consegue usar, ele não vai usar. Você vai fazer um idoso sair de casa por causa do seu site?

Sabemos que com a idade vindo, vamos perdendo a qualidade de visão, audição, destreza, memória, etc. Além disso, a percepção de cor muda para alguns idosos e eles perdem a sensibilidade ao contraste, portanto nunca use a cor como indicativo de uma informação decisiva para a navegação do site, por exemplo: “clique no botão vermelho para escolher tal opção”.

Daltônicos

Estima-se que 8% dos homens e 0.5% das mulheres sofrem algum nível de daltonismo. Para facilitar a navegação desses usuários, a dica é a mesma que citei no tópico anterior: não use a cor como indicativo de navegação.

Geralmente, por questões culturais também, utilizamos o vermelho como indicativo de “perigo”, “pare”, “erro” e o verde para “prossiga”, “sucesso no procedimento”, porém as deficiências visuais de cor para o vermelho e o verde são as mais comuns, o esquema é utilizar ícones que indiquem e alertem erro e sucesso na navegação do seu site.

Existem vários níveis de daltonismo, o mais forte é o daltonismo completo, em que a pessoa não enxerga nenhuma cor, apenas em escala de cinza. Mas para criar um layout à prova de daltonismo a medida é simples: teste o seu layout em preto e branco e veja se todos os elementos de navegação estão distinguíveis.

Epilepsia Fotosensitiva

Ataques de epilepsia podem sim ser causados pela web, já aconteceu antes. Não é só questão de acessibilidade, mas de segurança e saúde.

Os ataques podem ser causados com elementos tremendo compulsivamente na tela, ou flashes de mudanças de cores muito rápidas e bruscas (2 a 60 flashes por segundo – Hertz). Eles podem aparecer em banners publicitários piscantes, animações em flash, gifs animados, jogos e vídeos. Se for realmente necessário utilizar este recurso, é obrigatório que o usuário tenha o controle de “pausar” os flashes e/ou mudanças de cores.

Ambientes Externos

Não podemos esquecer do contexto que se encontram os usuários de dispositivos móveis. Quando estamos navegando na internet em ambientes externos, devemos considerar o reflexo da luz solar na tela e nessa hora acertar no contraste das cores pode ser decisivo para o usuário continuar a navegar no seu site.

Enfim

Com este artigo sobre cores na web finalizamos nossa série de posts sobre Acessibilidade Web para designers. É muito importante estudar este assunto com frequência para que sempre estejamos atualizados e possamos atender à demanda de todos os usuários. Atente-se à inclusão digital. A web é para todos!

Por Marcela / PrinciWeb blog

Autor: Daniel Brandão

Desenvolvedor Web e Professor. Gosto de debater, escrever e comentar a respeito da vida, tecnologia, o pensar, a sociedade, a vida cotidiana e da vida vindoura.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.