Uso do Celular no ambiente escolar

imagem ilustrativa

Não é de hoje que professores e educadores de um modo geral tentam trazer novidades às práticas educacionais para suas salas de aula, mas com o advento e popularização dos celulares, tem sido difícil frear o ímpeto da ‘garotada’.

Comenius (Jan Amos Komensky, nascido em 1592), considerado o pai da didática moderna, sempre buscou o novo e defendeu práticas didáticas que tratassem o aluno como um ser humano inteligente, e não apenas um repetidor do conhecimento passado. De certo, até ele viveria um conflito de ideias nos dias de hoje, com a utilização da tecnologia em sala de aula.

É obvio que a tecnologia do século 21 é uma “mão na roda” de qualquer prática docente, mas ao mesmo tempo em que ela nos auxilia no processo de compartilhamento de conhecimento, ela tem atrapalhado o andamento da postura em sala de aula de muitos alunos. O celular, hoje com mais recursos e por isso chamado de smartphone, trás ao aluno o acesso ao mundo sentado em sua carteira. O que para o mundo profissional tornou-se um avanço e sinal de comodidade, nas escolas acaba fazendo os professores perderem a paciência.

Estudos indicam que em 2013 existem mais de 5 bilhões de celulares em uso em todo o mundo, e com toda a certeza, a faixa etária entre 10 e 18 anos é uma das que menos consegui viver sem o uso deles. O problema não está necessariamente no uso, mas sim na forma e momento de utilização, uma prática desenfreada que atrapalha a concentração do aluno, tira o foco dos estudos para coisas extraclasse, interrompem o convívio pessoal entre alunos e os próprios alunos e professores.

Com isso, o desafio hoje tem sido saber lidar com esta tecnologia. Um dos caminhos pode ser um controle de acesso, seja talvez por uma rede onde alguns serviços não estejam 100% liberados, a utilização de programas multimídia que coloque o aluno para testar suas  habilidades e raciocínio. Com certeza, o maior caminho é o da conscientização, o interesse em não apenas usar a tecnologia, mas também de cria-la. Despertar o interesse do aluno em aprender e criar algo novo deve ser um primeiro passo para o sucesso neste paradigma moderno. Quais seriam os próximos passos? Responda você, execute e compartilhe.

Por: Daniel Brandão

Anúncios

Autor: Daniel Brandão

Desenvolvedor Web e Professor. Gosto de debater, escrever e comentar a respeito da vida, tecnologia, o pensar, a sociedade, a vida cotidiana e da vida vindoura.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.