5 linguagens de programação poderosas para ‘esticar’ seu cérebro

O pessoal da Dev.to fez uma postagem boa falando sobre linguagens de programação e a prática de aprender pelo menos uma nova linguagem de programação por ano. Segue a tradução das melhores partes da matérias feita por Jacob Herrington.

O raciocínio por trás dessa prática tem muito pouco a ver com marketing de si mesmo ou mesmo usando a linguagem. Na realidade, o benefício mais significativo de aprender uma nova linguagem de programação é o alongamento da mente e a criação de novos caminhos neurais que permitem que você examine os problemas de maneiras novas e únicas. Eu compilei esta lista de linguagens principalmente porque eles são linguagens que eu estou interessado em gastar mais tempo aprendendo, mas também porque elas exemplificam características de linguagem específicas e ideologias de programação muito bem.

Ruby

Linguagem Orientada a Objetos criada pelo Dr. Alan Kay, que uma vez disse: “Programação orientada a objetos para mim significa apenas mensagens, encapsular e esconder o estado e extrema ligação de todas as coisas.” Ruby é bom nessas coisas.

Elixir

Elixir é uma linguagem que abraça uma ideia chamada Modelo de Ator, idealizada pelo Dr. Carl Hewitt. No modelo de ator, tudo é um ator. (“Tudo é um ator” soa muito como “tudo é um objeto”, mas vou deixar essas comparações com os acadêmicos). Aprender a pensar sobre os atores é um exercício mental desafiador que levará a enxergar os problemas sob uma nova luz.

Rust

Rust é uma linguagem rápida e compilada que traz algumas idéias novas para a mesa. É expressamente destinado a resolver vários problemas de segurança de memória que surgem ao escrever C ++, que é freqüentemente usado para resolver problemas similares de programação de sistemas.

TypeScript

O alongamento cerebral no TypeScript vem da abordagem incremental na qual ele pode ser adotado e seu foco na tipagem estática. Se, como eu, você vem de um plano de fundo da Web com linguagens como Python ou PHP, a tipagem estática geralmente é um conceito estranho. No entanto, o TypeScript é uma maneira amigável de se apresentar a esse recurso de linguagem útil.

Haskell

Haskell é descrito como “puramente funcional”, o que significa que o estado é inteiramente imutável nessa linguagem de programação. Aprender a trabalhar com um estado totalmente imutável força você a desenvolver uma abordagem totalmente diferente para trabalhar com dados. Trabalhar com a Haskell resultará no desenvolvimento de alguma compreensão do cálculo lambda, que é relevante para toda a programação funcional.

Em resumo, cada uma dessas linguagens tem um jeito diferente de se programar, logo, seu cérebro precisará realmente “estiver” nos conceitos de uso e te levar a estudar e evoluir. É um caminho sem volta!

E aí, conhece alguma dessas LINGUAGENS? Deixe seu comentário.

Fonte: Dev.To

Anúncios

Autor: Daniel Brandão

Desenvolvedor Web e Professor. Gosto de debater, escrever e comentar a respeito da vida, tecnologia, o pensar, a sociedade, a vida cotidiana e da vida vindoura.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.