Ano novo, cara nova!

Olá meus amigos!
Um novo ano começa e com ele uma motivação a mais de minha parte em compartilhar novos e antigos aprendizados.

Com essas e outras novidades, estou estreando hoje um novo layout para o blog. Este me parece mais acessível, pensando no público que acessa por dispositivos móveis como Tablet e Celular. Além de ter um visual mais clean (leve e limpo), aparentemente.

Além disso, para este ano pretendo colocar mais tutoriais detalhando alguns tópicos de programação, desenvolvimento web, desenvolvimento para aplicativos móveis, Banco de dados e mini-livros que servirão para fomentar ainda mais o debate sobre desenvolvimento.

Espero poder ser útil e ser mais ativo no blog. Se alguém estiver lendo e retendo algo de bom, creio que já estarei fazendo meu papel. Como diria a velha srª Cora:

“Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.”

Cora Coralina

Anúncios

Design Responsivo e Experiencia do Usuário (UX)

Equipes de desenvolvimento tem trabalhado para desenvolver sites para diferentes dispositivos, mas para que se tenha êxito em um projeto web é preciso levar em consideração não apenas o conteúdo em si, mas também o design e a performance de usabilidade em cada tipo de dispositivo.

Definindo um design responsivo
Web Design Responsivo (WSR ou RWD em inglês) é o desenvolvimento web alinhando mudanças dinâmicas na aparência da página, de acordo com o tamanho e orientação do display utlizado. Por exemplo, uma pagina para ser considerada responsiva deve se adaptar tão bem na tela de um smartfone, como em tablets e computadores convencionais. Para isso, o design responsivo é utilizado para parear as diversas plataformas, tendo assim a tarefa de oferecer o mesmo conteúdo aos vários usuários de um site na web.

Esta solução é providencial para que não precisem ser criadas várias páginas com código fonte diferente para um mesmo conteúdo, dando um retrabalho para a equipe de desenvolvimento. Além de demandar tempo e investimento maior por parte de quem estiver por trás do projeto.

Sendo feito desta forma, o mesmo código HTML serviria para vários dispositivos, usando apenas o CSS para mudar a aparência da página de acordo com cada caso. Isso se torna transparente ao usuário, que praticamente não notaria a diferença ao acessar em diferentes dispositivos.

No design responsivo, o projeto é ágil, os elementos da página se modelam de acordo com a resolução da tela, aumentando ou diminuindo tanto imagens como textos. O projeto Responsivo conta com grids baseadas em proporção para reorganizar o conteúdo e elementos de design. As colunas diminuem ou aumentam em relação a uma tela de Smartfone, Tablet ou Notebook por exemplo.

Adaptável as novas tecnologias
Por ser modular, a performance das páginas estariam disponíveis a mudanças mesmo com o surgimento de novas tecnologias. Trabalhando responsivamente, os conteúdos podem se adaptar a inteligencia em óculos e relógios, objetos que estão sendo desenvolvidos nos últimos tempos e em breve devem se tornar populares, a exemplo dos tablets e demais portáteis.

Concluindo
O design responsivo é uma ferramenta, e como todas as outras requer cuidado. Se preocupar apenas com a aparência e deixar o conteúdo de lado, ou vice-versa, não pode ser o ponto final. As equipes de desenvolvimento devem sempre cuidar desta fusão, preocupando-se com o conjunto Conteúdo x Design x Performance. A usabilidade deve ser o carro-chefe, pois o usuário do outro lado do código sempre será o foco principal em um projeto web.

Guia do Front-end das galáxias

Oi pessoal!

Hoje trago uma dica de leitura boa para quem é ou deseja se tornar, assim como eu, um bom desenvolvedor front-end. Para quem não sabe, um front-end é o responsável pela parte amigável do site, as funcionalidades de interação com o usuário (a grosso modo).

Essas dicas valem ouro, e o nobre Davidson Fellipe (@davidsonfellipe) entrega de mão beijada em um slide ‘da hora’. Sirva-se a vontade.

O Fim está próximo: Suporte ao Windows Server 2003

O fim do suporte para o Windows Server 2003/R2 está marcado para 14 de Julho de 2015. Entenda o significado disso e por que você deve se preocupar:
Atualizações de segurança não serão mais oferecidas, deixando
suas instâncias de Windows Server 2003 ainda instaladas em risco.
Seu ambiente não passará em testes de conformidade e algumas
organizações não irão mais fazer negócios com sua empresa.
Instâncias virtuais e físicas do Windows Server 2003/R2 estarão
vulneráveis e também não seriam aceitas em uma auditoria.
Muitas aplicações também vão deixar de ser suportadas, pois elas
estarão em execução em sistema operacional que não será suportado.
Os custos de manutenção de hardware velho aumentarão, também
adicionando os custos de implantação de sistemas contra invasão.
Caso você pense que a migração de um servidor será simples, saiba que a migração de servidores em uma previsão otimista dura cerca de 300 dias. Tudo isso por que o trabalho de migração de um servidor irá envolver diversos passos, desde a análise do seu inventário, planejamento, compatibilização das aplicações, homologação e por fim a migração.

Por isso a Microsoft lhe oferece um assistente de planejamento de migração, no qual poderá lhe ajudar no planejamento de migração. Além disso, lhe oferecemos um portal para que você possa conhecer mais sobre o fim do suporte para o Windows Server 2003 em www.aka.ms/ws03br

Futuro: saiba como aproveitar a faculdade ao máximo

Parece clichê, mas é a mais pura verdade: aproveitar o período da faculdade para também adquirir experiências práticas e se envolver em atividades extraclasse não é mais uma opção para quem quer se destacar no mercado de trabalho e seus concorridos processos seletivos.

Se na época dos nossos pais ter o diploma de um curso de graduação era sinônimo de conseguir um bom emprego, agora as exigências são muito maiores. E, para corresponder às expectativas do mercado, é preciso tornar o período de estudante o mais proveitoso possível.

Os alunos que se engajam em atividades extracurriculares costumam escolher melhor onde trabalhar, além de serem valorizados pelos recrutadores, pois passam a ideia de que são mais comprometidos, proativos e autônomos do que os que não saíram da sala de aula.

Para te ajudar a mergulhar no infinito de possibilidades extraclasse, a Fundação Estudar fez um especial que apresenta o perfil de organizações estudantis como AIESEC, CHOICE, MEJ, Ligas, Enactus e Rotaract, além de histórias de pessoas que passaram por elas e chegaram muito longe. Confira o especial:

Botão Especial

Big Data – Você já ouviu falar nisso?

Muito tem sido escrito e discutido sobre Big Data, e como ele está servindo de base para a inovação e crescimento.
Mas afinal, do que se trata este termo popular?
Continue Lendo “Big Data – Você já ouviu falar nisso?”

A arte de programar!

Só quem é ou já foi programador sabe da difícil arte de conciliar VIDA x PROGRAMAÇÃO… rs. Eu recebi um e-mail com Dicas úteis para os programadores, e estou compartilhando aqui com os desenvolvedores de plantão. Segue:

  • Organize sua agenda.
  • Prepare um roteiro de trabalho a partir de um índice.
  • Teste sistemas concorrentes similares.
  • Converse com parceiros do setor sobre dúvidas.
  • Identifique clientes em potencial.
  • Ao pensar nas funções, se coloque na pele dos usuários.
  • Se divirta, tenha pensamentos positivos.
  • Não se esqueça de comer. De preferência a comidas leves.
  • Evite videogame nas horas vagas, você já fica a vida inteira na frente de uma tela, procure fazer atividades externas e exercícios todos os dias.
  • Não fique on-line em chats quando estiver trabalhando.
  • Se tiver cansado, descanse.
  • Faz uma versão demo simples e rápida para testar.
  • Contrate um designer que entenda o conceito do sistema.