Incluindo tecnologia no currículo de olho em competências da BNCC

Site lançado pelo CIEB traz referências para professores, escolas e redes desenvolverem habilidades digitais propostas na Base Nacional Comum Curricular

Anúncios

Para apoiar redes de ensino, escolas e professores que precisam incluir os temas de tecnologia e computação nos seus currículos, o CIEB (Centro de Inovação para a Educação Brasileira) lança a plataforma Currículo de Referência em Tecnologia e Computação, que traz diretrizes e orientações para desenvolver habilidades digitais propostas na BNCC (Base Nacional Comum Curricular).

Voltada para a educação infantil e o ensino fundamental, a plataforma pretende potencializar o uso de tecnologia e ampliar as reflexões sobre computação na educação básica.

Com uma série de orientações, a ferramenta mostra práticas que apoiam o desenvolvimento da 5ª Competência Geral da BNCC, que indica que os alunos precisam “compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismoe autoria na vida pessoal e coletiva”.

A plataforma organiza o currículo em três eixos: Cultura Digital, Pensamento Computacional e Tecnologia Digital. Cada um deles permite a navegação por tema de interesse e diferentes anos das etapas de ensino.

O material ainda apresenta indicações sobre níveis de maturidade das escolas e dos docentes em relação o uso de tecnologias conforme cada prática.

Para as redes de ensino, a plataforma também pode ser utilizada de diferentes formas. Elas podem trabalhar tecnologia e computação de forma transversal ou podem criar um componente curricular específico no seu currículo.

A ferramenta é gratuita e pode ser acessada em http://curriculo.cieb.net.br/.

Fonte: PorVir.org

PayPal e Dragoneer investirão milhões no MercadoLivre

Paypal investirá US $ 750 milhões já a Dragonner aproximadamente
US $ 100 milhões.

Resultado de imagem para mercado livre

O MercadoLibre, marketplace e serviços financeiros com sede na Argentina e com 18 países em toda a região, anunciou que o PayPal está investindo US $ 750 milhões e a VC Dragoneer outros US $ 100 milhões, como parte de uma oferta de US $ 1,8 bilhão para expandir seus negócios – especificamente expandir a funcionalidade de sua plataforma de comércio eletrônico; melhorar sua infraestrutura logística; e investir em tecnologias financeiras “que solidificam ainda mais a posição da empresa como uma provedora poderosa de soluções de tecnologia financeira e pagamentos de ponta a ponta.”

O MercadoLibre é negociado na Nasdaq e atualmente tem um valor de mercado de US $ 21,75 bilhões. O investimento é tanto financeiro quanto estratégico para o MercadoLivre e o PayPal. Depois de ter ficado fora do eBay há vários anos, o PayPal tem sido uma missão para diversificar sua base de clientes para incluir uma maior variedade de casos de uso, e parcerias para os pagamentos de energia para diferentes mercados.

Em termos do outro grande investidor sendo anunciado nesta rodada, a Dragoneer é um investidor lendário e muito experiente quando se trata de oportunidades interessantes no e-commerce. A empresa possui participações em outros mercados regionais gigantes de comércio eletrônico, como o Alibaba e o Flipkart; líderes disruptivos da ‘gig economy’ como Airbnb, Uber, DoorDash e Instacart, bem como uma infinidade de outros grandes nomes de startups como Slack e Snap. Parece que o MercadoLibre é atualmente a principal aposta não só para competir com os gostos da Amazon, mas com uma gama de pequenos players locais que também buscam explorar essa economia em rápida expansão – em outras palavras, a mesma oportunidade que a SoftBank está perseguindo. a outra extremidade do campo.

Fonte: TechCrunch

NASA dá adeus ao rover Opportunity após 15 anos de missão

Sem ter contato há oito meses, a NASA está se preparando para dar adeus ao rover Opportunity, que está na superfície de Marte. Uma última comunicação por rádio foi tentada pela equipe de engenheiros do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL), ainda sem sucesso, o que pode dar fim à missão que já dura mais de 15 anos.

O começo do fim da missão aconteceu em junho do ano passado, quando uma tempestade de poeira – uma das piores já registradas pela NASA – cobriu o céu marciano e, por consequência, os painéis solares do Opportunity. O rover conta com uma bateria interna, mas com a falta de carregamento a energia armazenada foi drenada e a sonda entrou no modo de hibernação.

Os engenheiros tinham esperança de que, com o fim da tempestade, o Opportunity pudesse se reenergizar e voltar a atividade. Porém, desde 10 de junho, quando o rover enviou sua última mensagem indicando que o ambiente em Marte estava incrivelmente escuro e que sua bateria estava quase esgotada, não houve mais contato.

O que quer que esteja bloqueando os painéis solares do Opportunity, não saiu. A equipe do JPL tentou diversos métodos possíveis para fazer contato com o rover, através da rede Deep Space. Uma esperança foi depositada ainda nos meses de novembro a janeiro passado, período particularmente ventoso em Marte, mas a poeira que cobriu o robô é tão densa que mesmo os fortes ventos não limparam os painéis.

Com a chegada do inverno, o destino do Opportunity pode estar selado graças as temperaturas que podem chegar a -40 °C. Quando estava em funcionamento, o rover conseguia se manter aquecido com oito pequenas unidades de aquecimento de plutônio, além de aquecedores elétricos e do calor gerado pelo próprio movimento do robô.

A NASA fará uma coletiva hoje para anunciar o destino da missão. O briefing irá explicar as últimas tentativas planejadas da NASA de se comunicar com o Opportunity e a transmissão poderá ser acompanhada pelo YouTube, a partir das 17h (Horário de Verão de Brasília).

Porém, nem tudo é tristeza. Os dois robôs geólogos Mars Exploration – Spirit e Opportunity – chegaram em Marte em janeiro de 2004, com a missão de procurar e catalogar uma ampla gama de rochas e solos que contêm pistas sobre a atividade da água no passado de Marte. O objetivo era que cada uma durasse 90 dias, mas a Spirit só parou de funcionar quando ficou presa na areia, depois de 6 anos. Opportunity encerra suas atividades com quase 16 anos de vida útil – o rover mais longevo da NASA.

O rover do tamanho de um carro de golfe e viajou mais de 45 km da superfície de Marte e registrou seu 5.000º dia no Planeta Vermelho em fevereiro de 2018. “Quinze anos na superfície de Marte é um testemunho não apenas de uma magnífica máquina de exploração, mas da equipe dedicada e talentosa que nos permitiu expandir nosso espaço de descoberta do Planeta Vermelho”, disse John Callas, gerente de projeto da Opportunity no JPL.

Fonte: Canaltech | NASAThe Verge