#PensandoEmDados [2] – Big Data

Como lidar com tamanha quantidade de dados?

Tudo que fazemos gera dado, aonde quer que formos, estaremos gerando e consumindo os mesmos. Somos as fontes dos próprios dados e geramos o volumoso aglomerado de dados chamado de BIG DATA.

Como lidar com tamanha quantidade de dados?

Saber distinguir os dados entre si e como proceder para lidar com o grande volume é uma das maiores tarefas que temos hoje em dia. BIG DATA é o termo que se associa a um amontoado GIGANTE de dados que pode pertencer a um mesmo domínio (uma empresa, uma rede social, um rastreamento de dispositivo, etc) ou a junção de vários domínios.

Com esse mundo “globalizado” dos dados, existem muitos tipos diferentes de dados. Quem trabalha com programação e lida com bancos de dados sabe os diferentes formatos que os dados podem ter como Strings (caracteres), Double, Float (números decimais), Int (números inteiros) boolean (valor booleano entre Verdadeiro ou Falso) e etc.

Por exemplo, um cadastro ou base de dados cadastrais é formado de casos ou registros (que no caso são os clientes) e variáveis. Para cada cliente temos o resultado das variáveis. Por exemplo, o primeiro cliente da base de dados tem o nome Fulano de Tal, o Sexo Masculino, o Estado Civil Solteiro, a Renda R$2.500,00 por mês, etc [Pinheiro, 2011].

O Gartner Group (2001) traz a seguinte definição sobre o assunto:

“Big data são dados com maior variedade que chegam em volumes crescentes e com velocidade cada vez maior.”

Gartner, 2001

Esse conceito já demonstra os V´s que envolvem o conceito. Enquanto essa definição inicial inclui apenas 3 Vs, hoje já se trabalha com pelo menos 5 (apesar que existem equipes e empresas que já apresentam até 10 deles). Os que podemos chamar de principais, além dos já citados Variedade, Volume e Velocidade são:

  • Veracidade
  • Valor
  • Variabilidade
  • Visualização

A veracidade é item crítico, afinal com dados falsos ou não reais teríamos uma inutilidade dos dados. Seu valor está também ligado a isso, dados terão valor quanto maior sua capacidade de agregar eles tiverem. Variabilidade é a capacidade que os dados tem de variar em si mesmo, valioso quando analisamos dados em tempo real. E a visualização é a demonstração desses dados que na maioria das vezes será através de gráficos e painéis (dashboards). [baseado em IMPACT, 2016]

Para lidar com todas as nuances dos dados, alguns aspectos técnicos como Mineração de Dados, o processo de ETL e conceitos de DataWarehouse e Data Mart são importantes aliados.

No próximo post falaremos mais sobre as técnicas de armazenamento e tratamento de dados.

Siga-me nas redes sociais:

14 ferramentas que todo analista de processos deveria conhecer

14 ferramentas para analistas de processos que podem otimizar o dia a dia desse profissional.

A empresa SML lançou em seu blog dica de aplicativos super úteis para gestão e análise de processos. As ferramentas para analistas de processos vêm sendo desenvolvidas pelo ramo da tecnologia de informação e trazem, a cada dia, novas funções para serem exploradas. Elas permitem que os profissionais da área eliminem tarefas desnecessárias, reduzindo o tempo de gerenciamento das atividades e integrando sistemas.

Neste artigo, listamos 14 ferramentas para analistas de processos que podem otimizar o dia a dia desse profissional. Dividimos a lista de acordo com as funções: organização de tarefas, gestão de informações, comunicação, videoconferências e mapeamento de processos.

Organização de tarefas

1. Trello

Utilize se você busca organizar manualmente suas tarefas, pois o Trello é uma ferramenta que substitui notas autoadesivas(ou os famosos posts-its), planilhas, agenda, e e-mails. É uma forma de organizar visualmente, em um só lugar, todas as tarefas a serem realizadas.

Além disso, o Trello permite que as listas de afazeres sejam gerenciadas e o andamento seja acompanhado por toda a equipe de forma sincronizada, já que a atualização é instantânea.

Exemplo de tela do Trello
Exemplo de tela do Trello

A ferramenta funciona como uma lista de tarefas, kanban, com cartões que podem ser marcados com cores, status de andamento, responsável pela atividade e prazos. Também permite adicionar comentários e feedbacks e sincronizar com todos os dispositivos. Uma de suas vantagens é a boa visualização de toda a linha de produção das tarefas.

A atualização é instantânea e pode ser visualizada por todo o time. A plataforma é acessada pelo navegador da internet, sem que seja necessário trabalho com sua instalação. O melhor de tudo: há uma versão free bem completa!

2. Asana

Asana é uma plataforma online utilizada para a organização de tarefas e de gerenciamento de tarefas colaborativas. Dentro dessa plataforma, é possível administrar e criar trabalhos, dividir as tarefas de forma rápida e prática, definir responsáveis e prazo, além de convidar seus amigos e colegas de trabalho para participarem da equipe.

Para utilizar a plataforma, é necessário fazer um cadastro, cedendo seu e-mail e informações pessoais. A partir daí, basta criar um time e definir quem serão os convidados do grupo de trabalho.

Após essa etapa de criação, você pode começar a administrar as tarefas, por meio do painel inicial, bastante fácil de entender e de uso bastante intuitivo. A criação de tarefas também se dá nesse mesmo painel.

Gestão de informações

3. OneDrive

OneDrive é uma poderosa ferramenta de gestão de informação que você, analista de processo, pode utilizar. É de fácil acesso e, por ser vinculada à Microsoft, é compatível com vários outros programas da marca.

Dispõe de um serviço de armazenamento em nuvem, bastando uma conta Microsoft. Além de armazenar, é dado ao usuário a opção de definir quais arquivos serão públicos e quais serão privados e disponíveis apenas para pessoas autorizadas. Dessa forma, você consegue compartilhar arquivos com sua equipe facilmente e evita a duplicação de informações e versões de um mesmo documento.

4. Dropbox Paper

Dropbox Paper é um editor colaborativo de documentos. Ele utiliza a tecnologia de armazenamento em nuvem do Dropbox e, a partir daí, torna possível a sincronização em tempo real e a participação de vários colaboradores ao mesmo tempo.

É gratuito e está disponível para diversas plataformas, como Android e iOS. Ele apresenta uma interface intuitiva e bastante simples de ser entendida. Para utilizá-lo, é necessário ter uma conta no Dropbox.

A aparência simples do aplicativo não pode ser confundida com seu potencial, que é alto, por causa, sobretudo, de uma estrutura poderosa. O aplicativo é uma ótima alternativa para você e o seu time, com o diferencial de os conteúdos ficarem salvos na própria plataforma.

5. ECM

ECM é a sigla para Enterprise Content Management. Essa ferramenta permite que as empresas realizem uma melhor organização e administração de tudo aquilo que diz respeito à informação empresarial.

Ela auxilia as empresas com a automatização do desenvolvimento de estratégias, armazenamento de informações, captura de dados e distribuição de documentos. Conta com uma série de tecnologias para centralizar e tornar uniforme o tratamento de informações de diversas origens.

Pode ser utilizada pela empresa de várias formas, com a devida estruturação e padronização dos dados provenientes das diversas áreas da empresa, fazendo com que a sua equipe produza de forma eficiente e evitando erros.

Comunicação

Continue Lendo “14 ferramentas que todo analista de processos deveria conhecer”

China deve liderar pesquisas globais em IA, diz ex-diretor da Google

Imagem relacionada

Embora os EUA historicamente tenham liderado pesquisas relacionadas à inteligência artificial, esse cenário pode apresentar no momento um ponto de inflexão. De acordo com o ex-diretor da extinta Google China, o investidor em capital de risco Kai-Fu Lee, a China tem apresentado cada vez mais protagonismo em pesquisas de IA, devendo mesmo ultrapassar o concorrente ocidental em breve.

“As pessoas assumem que os EUA dominam a inteligência artificial unicamente porque são fortes nessa linha de pesquisas”, disse Lee, que é também fundador do fundo binacional (EUA e China) de investimentos em capital de risco Sinovation. “Na verdade, a China tem ganhado terreno rapidamente”, acrescentou ele em evento conduzido pelo site TechCrunch.

Segundo o investidor, a China representa atualmente o maior mercado para a inteligência artificial, mantendo também a maior base de dados para análise e desenvolvimento de novas soluções – desde projetos voltados para negócios mais tradicionais até apostas em visão computacional, reconhecimento de fala e drones. “A maior parte das companhias de maior relevância atual nessas linhas são chinesas.”

Fonte/Matéria completa em: https://canaltech.com.br/robotica/china-deve-liderar-pesquisas-globais-em-ia-diz-ex-diretor-da-google-122044/