As Proposta dos candidatos à presidência para ciência e tecnologia

O site Olhar Digital vasculhou os planos de governo dos cinco candidatos mais bem colocados nas recentes pesquisas de intenção de voto – Jair Bolsonaro (PSL), Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede) e Geraldo Alckmin (PSDB).

Veja os detalhes no link de Olhar Digital

Anúncios

Porque eu não votei em DILMA

As eleições de 2014 foram um marco na história do nosso país. Foi difícil. Foi duro ver uma disputa presidencial sem uma grande diferença entre as partes concorrentes. Uma bifurcação à frente e uma escolha precisava ser feita.

Muita gente (e coloque muita nisso) decidiu votar em #Branco no segundo turno. Tivemos mais de 30 Milhões (isso mesmo, MILHÕES) de eleitores que se ‘abstiveram’ de votar. Claro que nesse número entram os que estavam foram do domicilio eleitoral, e os que simplesmente decidiram não ir votar.

Talvez você se pergunte: ué, não somos “obrigados” a votar? Bem, teoricamente somos. Mas caso você não possa, pode justificar ou até pagar uma “multa” pela ausência nas urnas (uma mixaria, não chega nem a R$ 5,00, dependendo do tempo que se demora pra ir atrás de se justificar).

Mas, voltando ao assunto inicial, vou justificar meu NÃO-VOTO em Dilma.

1) A primeira coisa que me faz tomar ‘partido’ é justamente o partido político dela, o PT.
Um partido que tem histórico de casos mal resolvidos (mensalão, caso Celso Daniel, Petrobras, Palocci, etc). Eu chamo de mal resolvidos, mas na verdade sabemos bem o que acontece, os famosos ‘panos quentes’.

2) O vício do poder.
O fato de um mesmo grupo político ficar por mais de 10 anos no poder não o incomoda também? Sou contra qualquer forma de se deter o poder a uma minoria por muito tempo. A chance de um golpe ou ditadura é iminente.

3) Dá pra confiar nela?
Sinceramente, olhar para a Dilma me causa certo medo. Não só pela pouca beleza da presidente, mas pela pouca ‘humanidade’ que ela passa. Ela sequer perde tempo abraçando idosos ou segurando bebês, porque ela e seu marqueteiro sabem que isso não ‘colaria’. Ela é estranha, não demonstra ser uma pessoa, parece realmente um robô programado para tarefa X, Y e aparenta pouco se importar com a opinião de quem a cerca (a não ser que quem a cerque seja o Lulalá).

4) Instabilidade financeira do país.
Além de tudo isso, Dilma e sua cúpula demonstram despreparo para lidar com assuntos capitais. Eles sabem GASTAR, mas não sabem o porque e nem como controlar as finanças. Sinceridade, cá pra nós, gastar até EU sei, difícil é fazer uma política econômica em prol de todos, e não apenas de uma classe só (seja ela os mais humildes ou mais ricos). Não é querendo puxar sardinha pro meu lado, mas o correto seria ela fazer politicas que atingissem mais a classe média, que é a maioria no Brasil e que acabou ficando dividida nessas eleições entre o que concordam mais com a esquerda do que com a direita.

5) E pra terminar: uma visão pessoal.
Confesso que para mim é difícil assumir um voto para um partido com ideologias como a do PT. Tá certo que meu pensamento inicial era votar em Eduardo Campos, do PSB (um partido teoricamente socialista). Pela fatalidade, fiquei sem muitas opções.

Portanto, foi difícil e sei que não foi só pra mim. Muitos votaram em Dilma por não querer ver o PSDB de volta ao poder. E muitos votaram em Aécio, não porque AMAM a direita PSdebista, mas pra não votar no PT.

OBS: reconheço alguns projetos do PT que surtiram efeitos positivos na sociedade, principalmente de média e baixa renda. Ex: PRONATEC, Minha Casa-Minha Vida, Linhas de crédito para Micro-empreendedores, entre outros menores. Nesse ponto concordo com Marina Silva: não devemos menosprezar as coisas boas do governo presente, mas que nem tudo vale a pena isso é fato.