De tirar o chapéu: Professora reconhece mais que notas de aluno autista

Foi-se o tempo em que tirar boas notas era a única forma de medir as habilidades de um aluno. A professora Jane Clarkson, de uma escola infantil do Reino Unido, teve uma atitude muito especial ao comunicar as notas baixas do seu aluno autista de 11 anos, Ben Twist.
Apesar de ter dado o seu melhor nas provas, seus resultados não foram satisfatórios – de acordo com o sistema tradicional.

A carta que a doce Jane mandou para Ben e seus pais tocou o coração de milhares de pessoas que viram o texto no Twitter da professora e deixou a mãe do menino em lágrimas.

Tradução livre:
“Querido Ben,
Estou escrevendo para te parabenizar pela sua atitude e sucesso ao completar seu ano letivo.
Gil, Lynn, Angela, Steph e Anne trabalharam muito bem com você este ano e você fez progressos maravilhosos.
Escrevi para você e seus pais para contar a vocês o resultado das provas.
Uma parte muito importante: quero que você entenda que essas provas medem apenas um pequeno pedacinho seu e de suas habilidades. Elas são importantes e você as fez muito bem, mas o Ben Twist é feito de muitas outras habilidades e talentos que nós, aqui da escola Lansbury Bridge, vimos e medimos de outras maneiras.
Outros talentos que você tem e que essas provas não medem, incluem:
– Seu talento artístico;
– Sua habilidade de trabalhar em grupo;
– O desenvolvimento da sua independência;
– Sua bondade;
– Sua habilidade de expressar opiniões;
– Suas habilidades esportivas;
– Sua habilidade de fazer e manter amigos;
– Sua habilidade de discutir e avaliar seu próprio progresso;
– Seu planejamento e construção de talentos;
– Sua habilidade musical.
Nós estamos muito satisfeitos com todos esses diferentes talentos e habilidades que fazem de você essa pessoa especial e essas são todas as coisas que mensuramos que nos asseguram o fato de você estar sempre progredindo e continuando seu desenvolvimento como um adorável e brilhante homenzinho.

Muito bem, Ben. Nós estamos muito orgulhosos de você.
Felicidades!
Senhora Clarkson.”
O Ben ficou felizao e agradeceu muito a msg! Top demais, não?

Anúncios

10 sites para você aprender a programar

Querer aprender algo por conta ficou muito mais fácil, ou menos complicado, com a internet. Com a quantidade de sites e blogs que surgem na rede todos os dias, muitos deles especializados em oferecer cursos de variadas áreas, não é difícil encontrar dicas, tarefas e tutoriais que vão guiar você em um determinado aprendizado.

Uma das áreas nas quais é possível se aprofundar por aqui é a da programação. Aprimorar seus conhecimentos ou começar do zero pode ser algo muito mais simples com o auxílio de um conjunto de ferramentas pensadas especificamente para fixar sequências de códigos e linguagens em seu cérebro.

Leia também: Android: 6 aplicativos para criar e editar códigos

Caso você se enquadre no perfil daqueles que desejam aprender a programar, mesmo que o básico, para começar a dar os primeiros passos, aqui vai uma lista com 10 sites em que é possível estudar programação.

1. Khan Academy

Sites para aprender a programar

Como uma universidade online, a Khan Academy reúne cursos das mais diversas áreas à sua disposição. O site conta com seções especiais para alunos, pais e professores, permitindo que você use todas as ferramentas da melhor maneira possível conforme suas necessidades.

Uma das grandes vantagens aqui é o idioma: o site conta com diversos conteúdos traduzidos para o português brasileiro, algo que torna a sua utilização ainda mais simples. Na seção de computação, a Khan Academy possui três subseções: Programação, Ciência da Computação e Hora do Código.

A última alternativa é bem interessante para quem tem pouco tempo para se dedicar aos estudos. Nela, você aprende a criar bancos de dados e páginas da web, além de conceitos básicos de programação, em apenas uma hora. Continue Lendo “10 sites para você aprender a programar”

Futuro: saiba como aproveitar a faculdade ao máximo

Parece clichê, mas é a mais pura verdade: aproveitar o período da faculdade para também adquirir experiências práticas e se envolver em atividades extraclasse não é mais uma opção para quem quer se destacar no mercado de trabalho e seus concorridos processos seletivos.

Se na época dos nossos pais ter o diploma de um curso de graduação era sinônimo de conseguir um bom emprego, agora as exigências são muito maiores. E, para corresponder às expectativas do mercado, é preciso tornar o período de estudante o mais proveitoso possível.

Os alunos que se engajam em atividades extracurriculares costumam escolher melhor onde trabalhar, além de serem valorizados pelos recrutadores, pois passam a ideia de que são mais comprometidos, proativos e autônomos do que os que não saíram da sala de aula.

Para te ajudar a mergulhar no infinito de possibilidades extraclasse, a Fundação Estudar fez um especial que apresenta o perfil de organizações estudantis como AIESEC, CHOICE, MEJ, Ligas, Enactus e Rotaract, além de histórias de pessoas que passaram por elas e chegaram muito longe. Confira o especial:

Botão Especial