Sim, vale a pena ser professor

Se você me perguntasse há uns anos atrás, na minha época de faculdade ou terminando o Ensino Médio, se vale a pena ser professor, acho que a resposta seria um claríssimo NÃO! Será que vale a pena se sacrificar, sendo sempre minoria, dentro de um sala de aula onde a maioria não está muito interessada em te ouvir?

Bem, anos depois da graduação e com alguma gordurinha acumulada na vida (não apenas na região da barriga, mas também de experiência de vida), a resposta mudou. Não vou ser hipócrita e dizer que entrei nessa vida de Educador apenas pelo prazer pessoal. A oportunidade de encarar minha primeira turma veio “por acaso”. A grande diferença foi que, depois desse primeiro curso, minha vida mudou.

Acho até que a minha vida mudou mais do que a maioria dos que foram meus alunos até aquele momento, pois encontrei uma profissão a qual não precisaria chamar mais de Trabalho.

Claro que ser professor dá “trabalho” pra caramba. Mas, lidar com pessoas de um modo geral, já dá. Somando a isso preparar aulas, provas, corrigi-las, e ainda se preocupar com cada caso que aparece, se torna um peso, caso você não tenha uma certa aptidão pra coisa.

Em meus anos iniciais já lidei com turmas variadas. Algumas só com iniciantes, tendo que praticamente “alfabetizar” digitalmente pessoas de 12 a 70/80 anos. Os desafios de uma sala de aula são muitos. Quando cheguei ao nível superior, um pouquinho de calo já tinha se formado, e algumas surpresas já não espantavam tanto.

Hoje, imagens como a mostrada aí em cima me fazem sempre voltar ao encanto inicial que tive. O prazer em não apenas passar conhecimento aos alunos, mas de tentar auxiliar no crescimento individual de cada um. Cobrar também é uma forma de amar, chamar a atenção é mostrar que você se importa com aquela pessoa.

Ser professor é ser um pouco pai de cada aluno. E nisso, se aprende que há várias formas de se demonstrar afeto. O fato de ter me tornado pai praticamente na mesma época que me torneio professor me fez adquirir experiência conjunta, levando a sala de aula o lado paterno, e trazendo para cada o lado educador.

Espero ter paciência e perseverança nesta jornada, que ainda posso dizer estar no começo. Ainda espero manter a boa vontade, em não pensar mais no contra-cheque do que na missão dada. Tudo tem seu espaço, seu momento e sua importância. SIM, ainda vale muito a penas ser professor. E sempre valerá!

Deixa o menino #Programar

A Criatividade é algo inerente ao ser humano. Com essa turma de Eletrotécnica o IFPB João Pessoa tenho descoberto que para ter um bom retorno de alunos perante a tecnologia, basta instruir bem e atiçar a curiosidade que a criatividade vem.

Eles estão começando a aprender a programar. Essa nobre arte é um portal de descobertas, e de transformação. Uma turma numerosa e agitada está gastando energia em pensar em soluções e algoritmos. É empolgante.

Incubadora Tecnológica do IFPB apresenta projeto em feira Internacional

A Incutes, Incubadora Tecnológica de Empreendimentos Solidários do IFPB, participou no período de 20 a 22 de outubro em Montevidéu, no Uruguai, do 2º Encontro Regional Latino-Americano: La economia dos/as trajadores/as, realizado por diversas Empresas Recuperadas dos Trabalhadores da América do Sul e Instituições Acadêmicas.

A Incutes foi representada pela assistente social Maria José Teixeira Batista Filha e pela Técnica em Assuntos Educacionais, Valéria Maria Gomes Guimarães, lotadas na Pró-Reitoria de Extensão e Cultura- PROEXC.

Leia mais em http://www.ifpb.edu.br/noticias/2016/10/incutes-do-ifpb-participa-de-evento-em-montevideu

IFRO ganha destaque por desafio de Robótica

ifro.png

Toda semana é feito um clipping, um apanhado de noticias de todos os institutos federais onde os funcionários e professores recebem as novidades de cada IF de todo o país. Essa semana, todas as notícias foram sobre o evento Desafio IFRO 2016 que reuniu equipes e projetos de Institutos Federais de todo o País. A equipe do IFPB foi vencedora na categoria Robotino. Orgulho em ver meu estado natal recebendo tamanho evento e meu estado atual representando bem o nordeste. Por essa e outras que amo o Norte-Nordeste brasileiro. Veja os destaques do evento:

Definidas equipes que representarão os Institutos Federais em seletiva Nacional da WorldSkills Competition 2017

A equipe do Instituto Federal da Paraíba (IFPB) foi a grande vencedora na categoria Robotino.

Leia Mais
Sumô de robôs agita Desafio de Tecnologia e Inovação dos IFs

Dois robôs se empurravam para fora de um círculo desenhado no tablado da arena montada no evento.

 

Leia Mais
Equipes de institutos federais buscam vaga para a seletiva nacional da competiçãoWorldSkills

Para alcançar a vaga na seletiva, as equipes deviam obter índices satisfatórios nos três dias de competição.

Leia Mais
DesafioIFRO2016

Mais de 60 alunos do IFRO participam do Desafio de Tecnologia

Além de competir em seis modalidades, alunos da capital e interior de Rondônia aproveitaram o evento para trocar experiências.

Leia Mais
DesafioIFRO2016

Estudantes de escola pública participam de oficina de robótica

Raciocínio lógico, noções básicas de elétrica e eletrônica, foram alguns dos conceitos repassados durante a oficina de robótica.

Leia Mais
DesafioIFRO2016

Mulheres ganham espaço em competição na área de robótica

É cada vez maior o interesse delas pela área, antes território dominado pelos homens.

Leia Mais

 

 

Fonte: Clipping MEC/SETEC

Equipe do IFPB vence disputa de robótica


A equipe “Tatu Guarani” composta por alunos do curso de Engenharia Elétrica do Campus João Pessoa venceu neste fim de semana o campeonato Mercury Remote Robot Challenge realizado em Oklahoma nos EUA.

O grupo foi selecionado a partir de um campeonato interno de robótica realizado pela Diretoria de Inovação Tecnológica e idealizado com o objetivo de incentivar a prática da robótica. “A conquista desse campeonato representa a consolidação da robótica no IFPB e mostra o potencial do nosso grupo”, afirmou o Diretor de Inovação Tecnológica, Fausto Araújo.

Fausto comenta que o ensino da robótica é realizado não só para preparar para competições, mas também para resolução de problemas do dia-dia. “O IFPB sobretudo os campi de João Pessoa e Cajazeiras tem feito um bom trabalho ao disseminar o conhecimento da robótica através dos grupos de pesquisa, voltados não só para competições, como também para outras aplicações”, enfatizou.

O Reitor do IFPB, Nicácio Lopes, recebeu a notícia com muita alegria e externou o sentimento de dever cumprido ao projetar o IFPB em nível internacional e incentivar uma área tão importante para os dias atuais que é a robótica.

Fruto de uma parceria que vem sendo construída com a Universidade de Oklahoma (OSU), ao longo dos últimos três anos, através da Arinter, o IFPB pode enviar duas equipes (uma do campus João Pessoa e outra do Campus Cajazeiras) para a competição internacional. No ano passado o IFPB também viabilizou a ida de duas equipes para a competição e uma delas conquistou o vice-campeonato.

A equipe Tatu Guarani juntamente com a equipe GPCar do Campus Cajazeiras retornam nesta terça-feira (19) à Paraíba.

Fonte: Site Oficial IFPB