NASA dá adeus ao rover Opportunity após 15 anos de missão

Sem ter contato há oito meses, a NASA está se preparando para dar adeus ao rover Opportunity, que está na superfície de Marte. Uma última comunicação por rádio foi tentada pela equipe de engenheiros do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL), ainda sem sucesso, o que pode dar fim à missão que já dura mais de 15 anos.

O começo do fim da missão aconteceu em junho do ano passado, quando uma tempestade de poeira – uma das piores já registradas pela NASA – cobriu o céu marciano e, por consequência, os painéis solares do Opportunity. O rover conta com uma bateria interna, mas com a falta de carregamento a energia armazenada foi drenada e a sonda entrou no modo de hibernação.

Os engenheiros tinham esperança de que, com o fim da tempestade, o Opportunity pudesse se reenergizar e voltar a atividade. Porém, desde 10 de junho, quando o rover enviou sua última mensagem indicando que o ambiente em Marte estava incrivelmente escuro e que sua bateria estava quase esgotada, não houve mais contato.

O que quer que esteja bloqueando os painéis solares do Opportunity, não saiu. A equipe do JPL tentou diversos métodos possíveis para fazer contato com o rover, através da rede Deep Space. Uma esperança foi depositada ainda nos meses de novembro a janeiro passado, período particularmente ventoso em Marte, mas a poeira que cobriu o robô é tão densa que mesmo os fortes ventos não limparam os painéis.

Com a chegada do inverno, o destino do Opportunity pode estar selado graças as temperaturas que podem chegar a -40 °C. Quando estava em funcionamento, o rover conseguia se manter aquecido com oito pequenas unidades de aquecimento de plutônio, além de aquecedores elétricos e do calor gerado pelo próprio movimento do robô.

A NASA fará uma coletiva hoje para anunciar o destino da missão. O briefing irá explicar as últimas tentativas planejadas da NASA de se comunicar com o Opportunity e a transmissão poderá ser acompanhada pelo YouTube, a partir das 17h (Horário de Verão de Brasília).

Porém, nem tudo é tristeza. Os dois robôs geólogos Mars Exploration – Spirit e Opportunity – chegaram em Marte em janeiro de 2004, com a missão de procurar e catalogar uma ampla gama de rochas e solos que contêm pistas sobre a atividade da água no passado de Marte. O objetivo era que cada uma durasse 90 dias, mas a Spirit só parou de funcionar quando ficou presa na areia, depois de 6 anos. Opportunity encerra suas atividades com quase 16 anos de vida útil – o rover mais longevo da NASA.

O rover do tamanho de um carro de golfe e viajou mais de 45 km da superfície de Marte e registrou seu 5.000º dia no Planeta Vermelho em fevereiro de 2018. “Quinze anos na superfície de Marte é um testemunho não apenas de uma magnífica máquina de exploração, mas da equipe dedicada e talentosa que nos permitiu expandir nosso espaço de descoberta do Planeta Vermelho”, disse John Callas, gerente de projeto da Opportunity no JPL.

Fonte: Canaltech | NASAThe Verge

Anúncios

GOVERNO ALTERA ESTRUTURA DO MCTIC E RECRIA FUNÇÕES DA SEPOD

Decreto publicado nesta quinta-feira (24) altera a estrutura do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, que foi alterada no início deste mês. Entre as mudanças está a criação dos departamentos de Tecnologias Estruturantes; Ecossistemas Inovadores; e de Ciência, Tecnologia e Inovação Digital, vinculados à Secretaria de Empreendedorismo e Inovação. A nova estrutura preserva atribuições antes à cargo da Secretaria de Política de Informática e, posteriormente, da Secretaria de Políticas Digitais (Sepod).
Devem ainda propor e supervisionar programas, projetos, ações e estudos em tecnologias da informação e da comunicação e em inovação digital; analisar as propostas de concessão de incentivos fiscais a projetos do setor de tecnologias da informação e comunicação e do setor de informática e automação.

Leia a matéria toda em: http://www.telesintese.com.br/governo-altera-estrutura-nova-do-mctic-e-recria-funcoes-da-sepod/

Dicas de Séries – Black Mirror

Olá Pessoal. Há um tempo comecei uma série de postagens com dica de séries online para se assistir. Meu objetivo era de dar dicas de seriados que tenho acompanhado e que tem a ver com tecnologia e suas aplicações práticas no cotidiano. Comecei falando de Mr. Robot (clique aqui e leia a primeira resenha).

Hoje quero indicar a série BLACK MIRROR, da Netflix. Uma série que fala sobre nosso presente tecnológico e de como será ou poderá ser nossa sociedade há alguns anos. Confira a resenha em minha página no Facebook ou no Instagram. Segue abaixo…

View this post on Instagram

DICAS DE SÉRIES: #BlackMirror Esta série da @Netflix é uma daquelas que te choca mas te prende a atenção até o fim. Com 4 temporadas, a série trata do uso da tecnologia em nossos dias. O foco principal é nos fazer refletir em como o abuso do uso das tecnologias digitais e a internet pode por fim a sociedade como a conhecemos. Alguns episódios são bem pesados. No geral a série tem indicação para 16 anos, mas algumas cenas são típicas de filmes de suspense/terror. Destaque para alguns episódios onde a sociedade passa a julgar TUDO que as pessoas fazem. Uma espécie de ranking onde tudo que você faça é "avaliado" em até 5 estrelas. Outros episódios mostram pessoas sofrendo tortura psicológica como forma de pagar por seus crimes. Além do uso de bastante tecnologia que hoje nos parece algo distante mas que já existem e muitas já estão em uso, como robôs, animais androide que simulam o comportamento de animais reais e etc. Se você gosta de ação, suspense e doses de terror e se interessa por tecnologia… #ficaADica #séries #BlackMirror #nerflix #dicas #cinema #suspense #terror #horror

A post shared by Daniel Brandão (@danielbrandao.com.br) on

CaseCrunch: O advogado “robô”

Imagem relacionada

Uma disputa bastante inusitada acabou com um sistema de inteligência artificial derrotando competidores humanos e não estou falando de partidas de xadrez – trata-se, na verdade, de um campeonato de advogados que colocou o CaseCrunch Alpha para enfrentar 100 profissionais reais da área. O resultado? Um baile da IA, que obteve uma taxa de precisão de 86,6%, enquanto que as pessoas de carne e osso chegaram a apenas 66.3%.

O CaseCrunch se tornou um sistema capaz de realizar previsões com base em informações sobre os casos e as leis locais

Os advogados e a inteligência artificial receberam informações básicas sobre centenas de casos de venda incorreta de seguro de proteção de pagamento e deveriam prever se o provedor financeiro de justiça permitiria uma reclamação. Foi nessas previsões que o CaseCrunch Alpha se saiu muito melhor que os profissionais de verdade.

De tirar dúvidas a prever

Criada por estudantes de direito de Cambridge, a plataforma funcionava inicialmente apenas como um bot de bate papo que tinha como objetivo tirar dúvidas legais de pessoas. A partir daí, o CaseCrunch se tornou um sistema capaz de realizar previsões com base em informações sobre os casos e as leis locais.

Ainda é muito para dizer se em algum dia os advogados poderão ser substituídos por máquinas, visto que o direito é um assunto sempre bastante subjetivo. Seja como for, se você for advogado, é bom ficar de olho: seu emprego pode estar com os dias contados.

Fonte: TecMundo.

Violinista acidentada há 30 anos volta a tocar graças a tecnologia brasileira

Rosemary Johnson sofreu um acidente de carro em 1988, perdendo os movimentos de seu corpo. Com isso, a violinista nunca mais tinha conseguido tocar seu instrumento favorito, mas, agora, tudo mudou graças a uma tecnologia criada por um brasileiro. Ela voltou a tocar o violino graças a sensores que acompanham o movimento de seus olhos, e também captam ondas cerebrais.

A tecnologia foi desenvolvida por Eduardo Miranda, brasileiro que atua como professor na Universidade de Plymouth, na Inglaterra. Há alguns anos, o professor se dedica a pesquisas que combinam música, computação e biologia, com o objetivo de devolver a capacidade de expressão musical a pessoas com deficiências.

Com o projeto de Miranda, a violinista, que não consegue se mover ou falar, conseguiu selecionar notas exibidas em uma tela, que foram tocadas em tempo real por uma colega sua, a também violinista Alison Balfour-Paul. Uma orquestra foi chamada para tocar a composição de Johnson, e você pode conferir a apresentação no seguinte curta produzido pela Volvo Car UK, que apoia o projeto:

“Quando vi Rosie pela primeira vez, algo estalou. É muito interessante trabalhar com ela. Uma vez que ela é uma musicista clássica, não preciso perguntá-la muitas coisas. Por meio da tecnologia, estamos quase instantaneamente trabalhando no domínio da comunicação musical”, contou o professor. “Trabalhar com ela está nos ajudando a desenvolver e formatar esta tecnologia. É uma mistura maravilhosa entre ciência e criatividade”, completou.

A tecnologia, que ainda está em desenvolvimento, é fruto de uma parceria com o Hospital Real para Deficiências Neurológicas de Londres, e já vinha sendo estudada desde 2003. “A ideia surgiu quando eu li uma notícia que cientistas estavam desenvolvendo métodos para controlar máquinas usando sinais elétricos cerebrais, chamados eletroencefalogramas. Eu achei a ideia fascinante e comecei a investigar a possibilidade de usar esse tipo de tecnologia para criar instrumentos musicais eletrônicos”, explicou o brasileiro.

Apesar de atuar na Inglaterra, Miranda pretende trazer sua tecnologia inovadora para o Brasil. Ele disse que está “em contato com algumas instituições brasileiras para ver se podemos mostrar o trabalho no Brasil no ano que vem”, mas “o trabalho não está pronto ainda para ser usado mais amplamente”. Para conseguir levar a tecnologia adiante, o professor depende da disponibilidade de colaboradores e de financiamentos. Com o caso bem sucedido de Rosemary Johnson, ele espera conseguir esse apoio.

Fonte: BBC

Homem que batia na namorada é preso após robô da Amazon chamar a polícia

Um homem foi preso no estado norte-americano do Novo México sob a acusação de bater na namorada e ameaçar matá-la após Alexa, a assistente pessoal da Amazon, chamar a polícia, segundo informou o jornal “NY Post” nesta segunda-feira (10).

O caso ocorreu no começo de julho em Tijeras, cidade próxima a Albuquerque.

Eduardo Barros, de 28 anos, discutia com sua namorada, bravo por achar que ela o estava traindo. Após sacar uma arma, ele falou, referindo-se aos policiais.

“Você chamou os xerifes?”

A questão foi entendida como uma ordem pela Alexa, que ligou para os oficiais. A assistente pessoal é uma plataforma de inteligência artificial que roda nos eletrônicos da Amazon, como o Echo, uma caixinha de som que executa ordens após receber comandos de voz. Google, como Google Home, e Apple, com o recém lançado HomePod, também disputam para levar às casas das pessoas aparelhinhos similares.

Segundo Felicia Romero, a delegada-assistente do condado de Bernallilo, não é possível saber qual dos aparelhos da Amazon fez a ligação. Apenas que a chamada para o 911 foi feita por Alexa e efetuada por um número da casa onde a agressão ocorreu.

“Essa tecnologia sensacional definitivamente ajudou a salvar uma mãe e sua criança de uma situação muito violenta”, afirmou Felicia Romero à ABC News.

Segundo o boletim de ocorrência obtido pelo “NY Post”, Barros ficou ainda mais nervoso quando percebeu que a polícia estava ligando para o celular de sua namorada. A partir daí, ele a jogou no chão e deu, pelo menos, uma dezena de chutes no rosto e estômago dela.

De acordo com o relato da vítima à polícia, Barros ficou nervoso por já ter passado pela prisão. Uma equipe da Swat, as forças especiais da polícia, foi enviada ao local, que teve de negociar com Barros para que se entregasse e libertasse a namorada e a filha dela.

Além das agressão, ele terá ainda de responder por porte de arma de fogo e por ter feito as duas reféns.

Notícia extraída do G1 Tecnologia

Evolução da Internet é tema do V Open Meeting

A “Evolução da Internet” será o tema da quinta edição do Open Meeting. O evento é gratuito, aberto a toda comunidade e acontecerá no próximo dia 29, às 19h, no Auditório Unipê. A temática irá ser abordada em palestra ministrada pelo professor José Augusto Suruagy Monteiro, referência no assunto. O evento conferirá certificado, que será entregue na coordenação dos cursos da UBTech TI em momento posterior…

Leia mais e se informe clicando aqui!