O que esperar quando o assunto é o retorno das férias?

Nem sempre a volta do recesso é como o esperado, mas importantes atitudes podem melhorar a retomada as atividades

Encontrar projetos alinhados, problemas resolvidos e a equipe fluindo pode ser o sonho de todo executivo que retorna das férias. Muitos são os profissionais que neste período não conseguem se desligar dos compromissos da sua empresa e, quando voltam ao setor, ficam mais estressados. A volta às aulas também pode ser melhorada com uso de planejamento e treinamento da mente.

Uma pesquisa, publicada no portal Economia Estadão, da Isma-BR International Stress Management Association, com executivos de São Paulo e Porto Alegre, teve um resultado curioso. O estudo aponta que 38% dos entrevistados tinha algum grau de fobia de férias, um número relevante que destaca uma fonte de estresse no período. Segundo a pesquisa, no final de 30 dias de férias, apenas 10 são realmente aproveitados, explica Ana Maria Rossi, presidente brasileira Isma-br. A razão levantada seria as decisões tomadas em sua ausência.

Planejamento

De acordo com especialistas, o apoio e o planejamento podem ser o segredo para um retorno feliz às atividades. Em publicação ao portal Economia Estadão, Geronimo Theml, especialista em produtividade e desenvolvimento humano, diz que a pergunta que cada pessoa deve fazer antes do recesso é: o que eu preciso deixar pronto para que tenha uma pausa tranquila?  A dica, segundo Geronimo, é desconectar do trabalho e colocar alguém capacitado para responder por você. A partir dessa decisão, a pessoa “substituta” avaliará se cabe interromper ou não o seu descanso.

Theml ainda comenta que colaboradores de alto nível de comprometimento acabam se sentindo responsáveis pelo trabalho mesmo em férias e se sentem inseguros em relação à equipe. Já para Cecília Belele, diretora regional da empresa de serviços de e-mail Return Path para America Latina, em matéria no Economia Estadão, o apoio da empresa é essencial para que o profissional possa realmente tirar seus dias de recesso.

Mais férias, mais qualidade de vida?

Tirar aquele tempo para relaxar pode contribuir muito para sua criatividade, como também para o foco. Uma pesquisa revelou que a pausa do trabalho pode contribuir para viver mais e com qualidade. O estudo realizado com 1.222 executivos mostrou que tirar períodos de férias mais curtos está associado a uma maior taxa de mortalidade. A partir da pesquisa, foi identificado que executivos que costumavam tirar três semanas ou menos de férias ao longo do ano tiveram 37% mais chances de morrer. Esse grupo apresentava um estilo de vida mais intenso, com maior carga horária de trabalho e menor tempo de sono. Vale ressaltar que tal resultado não era influenciado pela adoção de hábitos de vida mais saudáveis por parte desses executivos, mostrando que uma pausa real do trabalho é fundamental para que se possa relaxar e combater de maneira mais eficiente os efeitos negativos do estresse.

Além disso, os testes foram realizados com homens que apresentavam ao menos um fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como tabagismo, pressão alta, colesterol alto, triglicerídeos elevados, intolerância à glicose e sobrepeso. Ainda assim, os resultados da pesquisa são relevantes, já que muitos desses fatores são comuns de serem identificados no ambiente corporativo.

A cultura

Existe uma cultura, no meio corporativo, de que férias prolongadas são associadas à falta de interesse do colaborador. Além disso, muitos profissionais temem que a sua própria ausência possa ser um fator de risco para que outro profissional entre em seu lugar ou execute melhor suas atividades.

Indo contra tal corrente, muitas empresas já estão atentas à importância da qualidade de vida de seus profissionais e à relevância de focar em mais estratégias que promovam o bem-estar do colaborador para o alcance de bons resultados para a companhia. E isso inclui o prazer de tirar férias com apoio da organização.

Fontes:

Economiaestadão
Empregosecarreiras
Escardio.org

Jogo online em CSS Puro!

É possível criar um jogo ou alguma aplicação com as ações sendo controladas sem uma linguagem de programação em si? Eu te provo que SIM!

É possível criar um jogo ou alguma aplicação com as ações sendo controladas sem uma linguagem de programação em si? Eu te digo que SIM!

O desenvolvedor Elad Shechter provou que é sim possível. Através do simples uso de HTML e CSS ele criou um mini-jogo bem interativo. Como o HTML 5 permite você o uso de tags de maneira a simplificar a vida do desenvolvedor, juntamente com os possíveis controles de posições, formatos e tempo do CSS, a “brincadeira” fica mais fácil de acontecer.

O resultado pode ser visto na conta de Shechter no Codepen.io (clique aqui).

Os 10 mais populares frameworks PHP (parte 1)

Que PHP é uma das linguagens web mais utilizadas no mundo todo, para quem é da área, não é segredo algum. Mas, existem “N” formas de se programar para a web e só com a linguagem PHP já são diversos os frameworks, elementos auxiliares na hora de desenvolver um sistema web.

Por que usar um framework PHP?

Um framework PHP fornece uma estrutura básica para simplificar o desenvolvimento de aplicativos da web. Nós os usamos porque eles aceleram o processo de desenvolvimento.

Acima de tudo, a capacidade de resposta de sites e aplicativos criados usando estruturas PHP ajuda as empresas a atender às suas necessidades de desempenho. Portanto, não há dúvida de que os frameworks PHP continuarão ganhando atenção e popularidade em 2019.

A seguir, segue uma lista com os top 10 frameworks em uso hoje no mundo inteiro:

1. Laravel

Laravel is a top PHP framework

Introduzido em 2011, o Laravel tornou-se o mais popular framework PHP livre e de código aberto do mundo. Por quê? Porque ele pode manipular aplicativos da Web complexos com segurança, em um ritmo consideravelmente mais rápido do que outros frameworks. O Laravel simplifica o processo de desenvolvimento, facilitando tarefas comuns, como roteamento, sessões, armazenamento em cache e autenticação.

2. CodeIgniter

CodeIgniter is a top PHP framework

Conhecido por seu pequeno tamanho (é apenas cerca de 2 MB, incluindo a documentação) O CodeIgniter é um framework PHP adequado para o desenvolvimento de websites dinâmicos. Ele oferece vários módulos pré-construídos que ajudam na construção de componentes robustos e reutilizáveis.

3. Symfony

Symfony is a top PHP framework

A estrutura do Symfony foi lançada em 2005 e, embora tenha existido por muito mais tempo do que outras estruturas nessa lista, é uma plataforma confiável e madura. Symfony é uma extensa estrutura PHP MVC e a única estrutura conhecida para seguir padrões PHP e web.

4. CakePHP

CakePHP is a top PHP framework

Se você procura um kit de ferramentas simples e elegante, não procure mais. O CakePHP irá ajudá-lo a desenvolver sites visualmente impressionantes e repletos de recursos. Além disso, o CakePHP é um dos frameworks mais fáceis de aprender, especialmente por causa de sua estrutura CRUD (criar, ler, atualizar e excluir). CakePHP chegou ao mercado no início dos anos 2000, e desde então ganhou melhor desempenho e muitos novos componentes.

5. Yii

Yii is a top PHP framework

A estrutura do Yii – que significa sim, é! – é, de fato, simples e evolutivo. É uma estrutura PHP de alto desempenho e baseada em componentes para o desenvolvimento de aplicativos da Web modernos. O Yii é adequado para todos os tipos de aplicativos da web. Por esse motivo, é uma estrutura de programação universal da web.

Este TOP 10 Continua…

Acabou! Chegou ao fim o google+…

Isso mesmo, meus amigos, acabou! Talvez  você sequer utilizou na vida ou nem sabia da existência desta aplicação. Mas, em 2011, a Google lançava uma nova tentativa de rede social, uma vez que o Orkut estava à beira de desaparecer…

fim google+

Hoje pela manhã recebi um e-mail confirmando que a partir de 04/02/2019 não se cria mais perfis nem páginas ali. Ou seja, será desativada. A partir de abril de 2019 serão excluídas as contas juntamente com fotos, vídeos e demais postagens contidas ali.

“Você chegou a usar esta rede social?”

Acredito que no Brasil esta rede nunca foi efetivamente utilizada pela maior parte da população, ou seja, mais um projeto irá para o túmulo sem ter tido relevância para a vida digital mundial.

#RIPGoogle+

GOVERNO ALTERA ESTRUTURA DO MCTIC E RECRIA FUNÇÕES DA SEPOD

Decreto publicado nesta quinta-feira (24) altera a estrutura do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, que foi alterada no início deste mês. Entre as mudanças está a criação dos departamentos de Tecnologias Estruturantes; Ecossistemas Inovadores; e de Ciência, Tecnologia e Inovação Digital, vinculados à Secretaria de Empreendedorismo e Inovação. A nova estrutura preserva atribuições antes à cargo da Secretaria de Política de Informática e, posteriormente, da Secretaria de Políticas Digitais (Sepod).
Devem ainda propor e supervisionar programas, projetos, ações e estudos em tecnologias da informação e da comunicação e em inovação digital; analisar as propostas de concessão de incentivos fiscais a projetos do setor de tecnologias da informação e comunicação e do setor de informática e automação.

Leia a matéria toda em: http://www.telesintese.com.br/governo-altera-estrutura-nova-do-mctic-e-recria-funcoes-da-sepod/

Mini Projeto PHP atualizado

Olá, meus caros.

Andei atualizando o mini projeto em PHP com pequeno admin conectado ao MySQL. É um sistema que utilizo didaticamente para ensinar os primeiros passos com PHP.

Os arquivos estão em meu Github e o sistema rodando pode ser visto pelo Heroku. O projeto está aberto no git caso alguém queira dar um fork ou ajudar em melhorias no mesmo.

Ele inclui Boostrap para a parte front-end.

‘Inteligência artificial vai criar mais empregos’, diz especialista

Uma das questões mais debatidas atualmente é como as novas tecnologias, incluindo a robótica e a inteligência artificial, poderão impactar no mercado de trabalho e nas relações profissionais.

Especialista conta que o trabalho da máquina não irá substituir o homem — Foto: Lukas/Unplash

Autor do best-seller A Guerra das Inteligências, o francês Laurent Alexandre explica que esse não é um fenômeno novo. E mostra porque a sociedade não precisa temer a evolução tecnológica.

“Eu não acredito na morte do trabalho. Você sabe que os imperadores romanos tinham medo que as máquinas destruíssem o trabalho em Roma há dois mil anos. É um medo que sempre tivemos porque as pessoas veem a destruição dos postos de trabalho, mas não veem as profissões do futuro”.

“Ninguém na época do Napoleão poderia imaginar que haveria os aviões e microprocessadores. Eu não sou otimista, eu sou realista. A tecnologia vai criar oportunidades extraordinárias para as gerações que virão.”

A principal diferença agora está na natureza das mudanças. Segundo o coordenador do mestrado em ciências digitais da SciencePo, em Paris, Benoît Thieulin, até hoje sempre que havia transformações profundas elas atingiam a parte baixa da pirâmide, onde estão os trabalhadores menos qualificados, enquanto a onda da digitalização e da robótica afetará o alto escalão.

“Então haverá um reposicionamento, sobretudo nos trabalhos qualificados, daquilo que poderá ser feito pelas máquinas, e a parte humana, de responsabilidade, que continuará sendo feita por pessoas.”

“A primeira onda de robotização dos anos 1970 e 1980 atingiu inicialmente os operários. E esse movimento continua, especialmente no mundo industrial, pois ainda não temos empregados domésticos robôs, mesmo que isso venha a acontecer no futuro, muito provavelmente. Mas a nova onda, atualmente, que é essa da inteligência artificial, atinge os chamados empregos de colarinho branco. As enfermeiras estão menos ameaçadas, por exemplo, do que os médicos. São as profissões de análise que podem ser automatizadas. Entre um radiologista e um computador, que terá acesso a milhares de imagens para poder comparar um osso a milhares de outros, é evidente que a análise digital será incomparável com aquilo que o radiologista poderá fazer unicamente com os olhos e o cérebro”.

Fonte: RFI/BR