Marcos Pontes remaneja R$ 82 milhões para CNPq

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC) Marcos Pontes disse ter destinado mais R$ 82 milhões para pagamento de bolsas de pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Desde o ano passado, a pasta está com seu orçamento comprometido, com capacidade de pagar bolsas somente até setembro. Com esse montante, Pontes disse que pode garantir mais um mês de fomento.

O total é relativo ao pagamento de setembro, o que será feito somente em outubro. Com isso, o ministro busca ganhar tempo para conseguir os outros R$ 250 milhões para pagar bolsistas até o final do ano.

O problema da falta de verba já era sabido desde o ano passado, quando foi aprovado o orçamento destinado ao CNPq. Em novembro de 2018, Marcelo Morales, representante da instituição, informou que só tinha R$ 1 bilhão para os pagamentos, sendo que havia necessidade de mais R$ 300 milhões. Na época, o CNPq contava até com menos projetos aprovados — somente 72 mil.

Apesar do aumento no número de pesquisadores, a pasta vem sentindo cortes de verbas desde 2013, segundo Pontes. O objetivo é tentar, para o orçamento do ano que vem, recuperar o patamar de R$ 6 bilhões, faixa que o ministério tinha em 2010.

Fonte: Canaltech

Anúncios

Fim da plataforma LATTES?

Boatos deram conta de quem a plataforma de currículos Lattes teria seus dias contados. Com certeza espalhados por pessoas mal intencionadas e sem ter o que fazer, a não ser espalhar terrorismo e fakenews, o próprio CNPq lançou uma nota esclarecendo o fato. Segue nota na íntegra:


“Em relação ao boato que tem circulado neste final de semana sobre uma suposta extinção da Plataforma Lattes, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) informa que não há nenhum encaminhamento para isso.
Ao contrário, a Plataforma Lattes, que este ano completa 20 anos de criação com mais de 6 milhões de currículos cadastrados, tem ganhado cada vez mais reconhecimento e relevância, não só pela importância já consolidada para a comunidade científica, mas, também, pelos recentes aprimoramentos como a inclusão, nos currículos, de nome social, de projetos de ensino e data de nascimento ou adoção de filhos; além da integração com outras plataformas de Governo como o Banco de Talentos, que reúne o currículo dos servidores públicos federais para fins de seleção para cargos.
Ressaltamos, ainda, que está em curso, em parceria com várias instituições, um Plano de Modernização da Plataforma Lattes, anunciado em dezembro de 2018.

Fonte: CNPQ LATTES