Pesquisadores descobrem milhões de registros expostos de usuários do Facebook

Foram achados cerca de 540 milhões de registros em servidores variados

Anúncios

Pesquisadores de segurança descobriram centenas de milhões de registros de usuários do Facebook em um servidor de armazenamento público inadvertidamente. Os dois lotes de registros de usuários foram coletados e expostos por duas empresas terceirizadas, segundo pesquisadores da empresa de segurança UpGuard, que encontraram os dados.

Na pesquisa, a empresa de mídia digital Cultura Colectiva, com sede no México, deixou mais de 540 milhões de registros – incluindo comentários, curtidas, reações, nomes de contas e muito mais – armazenados no servidor de armazenamento Amazon S3 sem uma senha, permitindo a qualquer um acessar os dados. Outro arquivo de backup em um servidor de armazenamento separado da fabricante de aplicativos At The Pool, da Califórnia, continha dados ainda mais sensíveis, incluindo informações sobre mais de 22.000 usuários, como listas de amigos, interesses, fotos, associações a grupos e check-ins de usuários

De acordo com o UpGuard, nenhuma das empresas respondeu aos pedidos para remover os dados. O Facebook entrou em contato com a Amazon para colocar os dados offline, disse um porta-voz do Facebook ao site TechCrunch.

“As políticas do Facebook proíbem o armazenamento de informações do Facebook em um banco de dados público” – disse o porta-voz. O Facebook disse que ainda não há evidências para mostrar que os dados foram mal utilizados, mas que estava sendo investigado.

Chris Vickery, diretor de pesquisa de risco cibernético da UpGuard, disse ainda: “Essas descobertas continuam a destacar os problemas que afligem as empresas que dependem da coleta de dados em massa”.

“Armazenar informações pessoais coletadas de usuários finais é uma obrigação. Quanto mais você tem, maior é a responsabilidade”
– disse Vickery.

Fonte: TechCrunch

Cuidado: novo golpe usa legendas piratas para sequestrar computadores

Graças a plataformas como PopcornTime, quem costuma consumir conteúdo pirateado não precisa mais se preocupar com o download, bastando procurar o material num desses programas, incluir a legenda e assistir. Só que tamanha comodidade vem a um preço alto.

Na última terça-feira, 23, a Check Point informou ter descoberto um golpe que usa o sistema de obtenção e reprodução de legendas dessas plataformas para invadir o computador dos espectadores.

Veja a matéria completa no site do Olhar Digital.